Petição apela à Microsoft para prolongar o suporte do Windows 10 para além de 2025

O Public Interest Research Group (PIRG), organização sem fins lucrativos, apelou à Microsoft para prolongar o suporte do Windows 10, uma vez que as consequências de descontinuar o sistema operativo seriam catastróficas.

Lucas Gutterman, responsável pela campanha, revelou que mais de 400 milhões de computadores com Windows 10 não podem ser atualizados para o Windows 11o que significa que 43% dos PCs ficarão à deriva quando o suporte terminar, a 14 de outubro de 2025.

O abandono do Windows 10 pela Microsoft pode fazer com que mais computadores se tornem obsoletos do que qualquer outra ação alguma vez realizada.

A empresa estabeleceu objetivos ambientais ambiciosos, mas o impacto desta decisão ameaça destruir o seu progresso.

Afirmou Lucas Gutterman. De acordo com o especialista, o fabrico destes dispositivos já gerou 46 milhões de toneladas de CO₂. O ativista menciona outras tentativas da Microsoft de estender o suporte a versões mais antigas do Windows, como o XP.

Os utilizadores do Windows XP receberam atualizações de segurança durante 13 anos. Mesmo quando o suporte terminou, ainda estava a funcionar em 30% dos computadores em todo o mundo. Forçar uma transição para o Windows 11 é mau para o planeta.

Uma das vantagens do Windows 10 é a sua retrocompatibilidade que, combinada com os requisitos de hardware, permitiu que muitos computadores migrassem sem problemas.

Uma das prioridades da PIRG é defender o direito à reparação

Os grupos que compõem a rede estão a trabalhar com legisladores e empresas para permitir que os utilizadores reparem os seus computadores sem garantia. Isto ajudaria a reduzir a quantidade de resíduos eletrónicos gerados todos os anos.

O apelo à Microsoft gira em torno dessa questão e pede a extensão do período de suporte do Windows 10.

Caro Satya Nadella, CEO da Microsoft,

Não deite fora milhões de computadores. A decisão de terminar o suporte para o Windows 10 pode causar o maior aumento no número de computadores descartados até à data e impedir a Microsoft de atingir os seus objetivos de sustentabilidade. Os rigorosos requisitos de hardware da nova versão do sistema operativo poderão fazer com que 40% dos PCs em utilização sejam deixados para trás.

A decisão da Microsoft de deixar de apoiar milhões de computadores em funcionamento nos nossos hospitais, empresas e lares é um mau negócio para os clientes que esperam que os seus dispendiosos dispositivos durem.

Todo o software chega a um ponto em que deixa de ser suportado, mas quando as consequências para o nosso ambiente são tão grandes, não o devemos aceitar.

Lucas Gutterman deslocou-se aos escritórios da Microsoft em Redmond WA para entregar 20 mil assinaturas de apoio à petição, que foram posteriormente enviadas por via eletrónica.

O Windows 10 continua a ser o mais popular

Apesar de estar há dois anos no mercado, o Windows 11 não conseguiu arrancar como a Microsoft esperava. De acordo com os dados da Statcounter, a última versão do sistema operativo está instalada em 20,28% dos computadores. Em contrapartida, o Windows 10 tem uma quota de mercado de 71,6%, mantendo uma tendência estável ao longo de 2023.

A versão mais recente do Windows 10 (22H2) será descontinuada a 14 de outubro de 2025. Esta versão inclui as edições Home, Pro, Enterprise e Education. É difícil prever se a Microsoft irá prolongar a data ou reduzir os requisitos de hardware para o Windows 12.

Fonte: pplware.sapo.pt

Precisa de assistência informática? Marque já aqui


Discover more from PC ASSISTE

Subscribe to get the latest posts to your email.