iFixit já “autopsiou” o novo MacBook Air e torceu-lhe o nariz…

A especialista denota maior facilidade em reparar o novo portátil do que acontecia com os anteriores, mas isso não significa que sejam mesmo mais fáceis.

A especialista iFixit dá sempre as boas-vindas aos novos produtos tecnológicos que chegam ao mercado através do “bisturi”, desmanchando-os para testar a facilidade da sua reparação. O MacBook Air 13 Retina, anunciado recentemente pela Apple, e que chegou esta semana às lojas, foi a mais recente a receber o tratamento especial da empresa de reparações.

Durante o processo, a iFixit denotou uma maior facilidade em desmontá-lo, quando comparado com os modelos anteriores, mas mantém uma dificuldade muito acima da média, valendo-lhe uma pontuação de 3 em 10. Apesar da especialista não ser fã de fitas adesivas, refere que é uma melhor solução comparativamente aos modelos anteriores, que utilizavam cola solvente, prendendo os componentes.

Um dos primeiros testes foi retirar o teclado e compreender a composição das teclas. Isto para verificar se já era imune ao “terror” dos grãos de areia. O “infame” sistema de butterfly continua presente, mas com uma membrana de proteção. A boa notícia é que o teclado já não tem a bateria, os altifalantes ou trackpad colados, o que facilita a sua desmontagem.

O acesso à motherboard também foi fácil, tendo apenas alguns parafusos e conectores de cabos ligados. A desmontagem continuou acessível nos processos seguintes, com diversas placas, infelizmente agarradas com silicone. Existem ainda outros acessórios modelares, tais como o sistema Thunderbolt e o jack para os auscultadores. A especialista notou que cada componente tem a sua própria placa, e são facilmente substituíveis. A bateria também foi simples de retirar, presa com quatro parafusos e alguns adesivos, mas é necessário forçar a desmontagem da motherboard e dos auscultadores para lhe ter acesso.

As dificuldades surgiram depois, com a forma de retirar o trackpack. Se o MacBook Pro deu um primeiro passo para substituir o componente, neste novo portátil partilha um cabo com o teclado, que está preso em baixo da motherboard. Esta terá de ser primeiro desmontada e só depois o trackpad…

O que deixou os técnicos da iFixit aborrecidos foi a integração do teclado na tampa superior, requerendo uma desmontagem completa para o substituir. Pior ainda é que a RAM e o módulo de armazenamento estão soldados e não podem ser substituídos.

Fonte: tek.sapo.pt

Deixar uma resposta